Todos os posts de dpzasso

Profissional de Alta Performance

Acompanhe abaixo uma dica importante de como agir para ser um profissional de alta performance.

Transcrição do vídeo:

Você deve ser um profissional que não se acomoda. Eu gostou muito de dar um exemplo: você, dentro de uma área, sai uma legislação, muito atual. Darei duas características de profissionais:

  1. Aquele profissional, que simplesmente, lê essa lei e guarda para si.
  2. E o profissional de alta performance, ele vai pegar a lei, ler, irá estudar, irá se aprofundar, ele irá verificar no ambiente de trabalho e no mercado, como as pessoas tem se comportado com essa lei, com essa mudança.

Conseguem perceber e diferenciar os dois tipos de profissionais?

Portanto, se você quer buscar crescimento, se você quer sair do seu mundo de acomodado e da sua zona de conforto, então você precisa se tornar um profissional de alta performance.

Rafael Ribeiro – dpzasso@gmail.com

Anúncios

Palavras Conectam ou Desconectam

Refletindo sobre o fato da empatia ser profundidade, vamos pensar juntos no poder que a sua palavra tem diante de fatos. Já chegou a pensar nisso?

A definição mais básica de EMPATIA é: “capacidade de se colocar no lugar da outra pessoa”. Ao agir, é pensar exatamente o que o indivíduo afetado sentirá. E não só sentirá como o que ele irá considerar como verdade nas suas palavras. Afetando até mesmo em todo o seu desenvolvimento pessoal e profissional.

Paulo Vieira trás uma colocação extremamente intensa sobre o poder da sua palavra:

“Matriz ativa de formação de mudanças: Quando as palavras são COMUNICADAS com vigor e repetidamente, elas criarão uma realidade. Com repetição e insistência, a palavra comunicada produz PENSAMENTOS em forma de imagens internas e diálogos mentais. Depois de a palavra ter sido comunicada e pensada, é produzido o SENTIMENTO proporcional e decorrente dela. E, como sabemos, todo sentimento perpetuado por comunicação e pensamentos se transforma em uma CRENÇA.”

Portanto, podemos concluir que se as palavras que são expressadas pela sua boca tem poder, pense exatamente no que será dito. Tenha na mente a responsabilidade da empatia. Tenha a intensão apenas de transformar.

Ter empatia é ter a capacidade de olhar junto com a pessoa. É sentir COM a pessoa, é sair do lugar, é mudar o ponto de vista, é ficar vulnerável, mas, criar conexões.

Empatia é profundidade.

Estamos todos em busca de uma conexão.

Rafael Ribeiro – dpzasso@gmail.com

Estamos todos em busca de uma conexão

Estamos todos em busca de uma conexão!

Fomos concebidos para nos conectar uns com os outros. E essa conexão é o porquê de estarmos aqui, é o que dá propósito e sentido à nossa vida, e sem ele sofremos.

A empatia é um dos principais meios de nos conectarmos com o outro.

Quando falamos em ter empatia estamos falando da sua coragem de se colocar em um lugar frágil. Como você lida com conflitos, como protege sua identidade e em que  profundidade mantém suas relações.

“A empatia é uma escolha vulnerável: para me conectar com você, eu preciso me conectar com algo dentro de mim que reconhece esse sentimento.” (Brené Brown)

Ser empático é diferente de ser simpático.

A simpatia me permite olhar sem precisar sair do lugar que estou, tenho liberdade para olhar do meu ponto de vista e colocar beleza e facilidade nas situações. Exemplo da velha e conhecida frase: “Vai ficar tudo bem.”

Ter empatia é ter a capacidade de olhar junto com a pessoa. É sentir COM a pessoa, é sair do lugar, é mudar o ponto de vista, é ficar vulnerável, mas, criar conexões.

Empatia é profundidade.

Miriam Pacheco – Psicóloga – CRP 06/137736

Alterada CLT – Honorários de Intérprete Judicial

No dia 09/05/2018 foi publicado, no Diário Oficial da União, a Lei nº 13.660/2018, onde altera o § 2º do artigo 819 da CLT. É disposto que o depoimento das partes e testemunhas que não souberem falar a língua nacional será feito por meio de intérprete nomeado pelo juiz ou presidente. Aplica-se o referido critério quando se tratar de surdo-mudo ou de mudo que não saiba escrever.

A alteração no citado dispositivo legal diz respeito às despesas decorrentes do disposto anteriormente, as quais correrão por conta da parte sucumbente, salvo se beneficiária de justiça gratuita.

Segue abaixo trecho da Lei:

Art. 1º – O § 2º do art. 819 da Consolidação das Leis do Trabalho – CLT, aprovada pelo Decreto-Lei nº 5.452, de 1º de maio de 1943, passa a vigorar com a seguinte redação:

§ 2º As despesas decorrentes do disposto neste artigo correrão da parte sucumbente, salvo se beneficiária de justiça gratuita.

Rafael Ribeiro – dpzasso@gmail.com

SENAC – Alteração do Regulamento estendendo o benefício para pessoas ameaçadas

Foi publicado no dia 08 de maio, no Diário Oficial da União, o Decreto nº 9.364. O mesmo traz uma alteração do regulamento do SENAC (Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial), aprovado pelo Decreto nº 61.843/1967. A alteração dispõe uma extensão dos benefícios aos usuários dos programas de proteção a pessoas ameaçadas.

Segue abaixo, na íntegra o Decreto:

DECRETO Nº 9.364, DE 8 DE MAIO DE 2018

Altera o Regulamento do Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial – SENAC, aprovado pelo Decreto nº 61.843, de 5 de dezembro de 1967, para estender benefícios aos usuários dos programas de proteção a pessoas ameaçadas.

O PRESIDENTE DA REPÚBLICA, no uso da atribuição que lhe confere o art. 84, caput, inciso IV, da Constituição,

DECRETA:

Art. 1º O Regulamento do Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial – SENAC, aprovado pelo Decreto nº 61.843, de 5 de dezembro de 1967, passa a vigorar com as seguintes alterações:

“Art. 3º…

m) garantir oferta de vagas gratuitas em aprendizagem, em formação inicial e continuada e em educação profissional técnica de nível médio:

1. a pessoas de baixa renda que sejam alunos matriculados ou egressos da educação básica;

2. a trabalhadores de baixa renda, empregados ou desempregados; e

3. aos usuários dos programas de proteção a pessoas ameaçadas instituídos pela Lei nº 9.807, de 13 de julho de 1999, pelo Decreto nº 6.044, de 12 de fevereiro de 2007, pelo Decreto nº 6.231, de 11 de outubro de 2007, e pelo Decreto nº 8.724, de 27 de abril de 2016.

§ 1º O SENAC deverá comprometer dois terços de sua Receita de Contribuição Compulsória Líquida para atender ao disposto na alínea “m” do caput.

§ 2º No atendimento ao disposto na alínea “m” do caput, será priorizado o atendimento daqueles que satisfizerem as condições de aluno e de trabalhador simultaneamente e dos usuários dos programas de proteção a pessoas ameaçadas a que se refere o item 3, observado o disposto nas alíneas “i”, “j” e “l” do caput.” (NR)

Art. 2º Fica revogado o parágrafo único do art. 3º do Regulamento do Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial – SENAC, aprovado pelo Decreto nº 61.843, de 1967.

Art. 3º Este Decreto entra em vigor na data da sua publicação.

Brasília, 8 de maio de 2018; 197º da Independência e 130º da República.

MICHEL TEMER

Rafael Ribeiro – dpzasso@gmail.com

MTE – Como ficam os contratos em vigor após Reforma Trabalhista?

No dia 15 de maio, foi publicado no Diário Oficial da União, pelo MTE, o parecer nº 248/2018, na qual transmite quanto a aplicabilidade da lei 13.467/2018 – Reforma Trabalhista para aqueles contratos celebrados em 11/11/2017 (data do início da vigência da lei) e os contratos celebrados anterior a essa data.

Para você que não está muito envolvido com o assunto, foi uma das questões mais discutidas desde a publicação da lei em julho/2017. Aplica-se a lei para os contratos que seriam assinados somente após 11/11 ou também para todos os contratos antigos que estavam vigentes nessa data?

Foi então que foi lançada a Medida Provisória nº 808/2017, na qual foi disposto que a referida Lei se aplicava, na integralidade, aos contratos de trabalho vigentes. Porém, no dia 23/04/2018, a MP perdeu a sua eficácia e o assunto voltou a ser discutido.

Resumindo, o MTE entendeu que, a Lei nº 13.467/2017 deve ser aplicada abrangendo a todos os contratos de trabalho regidos pela CLT, inclusive àqueles iniciados antes da vigência da lei e que continuaram em vigor após 11/11/2017.

(Despacho MTb s/nº de 14.05.2018 – DOU 1 de 15.05.2018)

NOTA À IMPRENSA

Publicado: Terça, 15 de Maio de 2018, 08h59

A Modernização Trabalhista é aplicável de forma geral, abrangente e imediata a todos os contratos de trabalho regidos pela Consolidação das Leis do Trabalho (CLT), inclusive àqueles iniciados antes da vigência da Lei nº13.467/2017.

Este é o entendimento do Parecer nº 00248/2018, emitido pela Consultoria Jurídica junto ao Ministério, aprovado pelo ministro do Trabalho e publicado na edição desta terça-feira (15) do Diário Oficial da União.

A aprovação pelo ministro gera efeito vinculante para a Administração no âmbito do Ministério do Trabalho, e traz segurança jurídica, sobretudo na atuação fiscalizatória dos servidores desta Pasta, que deverão obrigatoriamente segui-lo.

O Parecer, elaborado pela unidade da Advocacia Geral da União (AGU), conclui que a perda de eficácia, em 23 de abril de 2017, da Medida Provisória (MP) nº 808/2017 não modifica o fato jurídico de que a Modernização Trabalhista é aplicável a todos os contratos de trabalho regidos pela CLT, inclusive àqueles iniciados antes da vigência da nova Lei, e que continuaram em vigor após 11 de novembro de 2017.

Fonte: Ministério do Trabalho

Rafael Ribeiro – dpzasso@gmail.com

Perguntas Frequentes | 3ª FASE

Para as empresas com faturamento acima de 78 milhões em 2016, o eSocial entrou na 3ª fase a partir do dia 08/05/2018. E para muitos, essa fase será de uma carga muito mais “pesada” do que as demais. Chamada de envio dos eventos periódicos, as empresas deverão informar toda a movimentação da sua folha de pagamento.

Para esclarecer uma dúvida bastante comum – regime de caixa/competência, trouxemos uma informação direta do site do eSocial, onde deixa bem claro o funcionamento da questão:

O que devo enviar a partir do dia 08/05, a folha de pagamento de Abril, a folha de pagamento de Maio ou o que foi pago em Abril ou o que foi pago em Maio?

Qual prazo de entrega do S-1210 da competência abril/18 com datas de pagamento em maio/18, já que o sistema entra em operação em 08/05/2018?

O prazo de envio do evento S-1210 relativo a pagamentos efetuados em maio/18 é o dia 07 do mês seguinte, no caso, 07/06/2018. Não importa que seja um evento S-1210 de pagamento referente a competência anterior ao início da obrigatoriedade do eSocial (ou seja, {tpPgto} = [9]). A hipótese descrita ocorrerá se o pagamento dos valores da folha de abril/18 se der em maio/18 (regime de caixa). A folha de abril/18 não será informada no eSocial, pois é anterior ao início de obrigatoriedade.

Os pagamentos relativos a competências anteriores ao início de obrigatoriedade, mas efetivados já na vigência do eSocial, devem ser informados no grupo [detPgtoAnt]. O pagamento informado neste grupo não tem vinculação e prescinde de prévia informação no S-1200.

Fonte: portal.esocial.gov.br

Destacamos os principais pontos da solução do questionamento, para que você tenha mais facilidade no entendimento deste caos da 3ª fase do eSocial.

Dúvidas e/ou mais informações para agregar valor ao post, fique a vontade e comente aqui em baixo. Será um prazer aprender mais com vocês.

Rafael Ribeiro – dpzasso@gmail.com